Reprodução

Os crondríctios têm fecundação interna; os espermatozoides são passados para a fêmea através do clásper. Há espécies ovíparas, cujas ovos têm a forma de pequenas bolsas marrom-escuras, de parede resistente e com filamentos nas extremidades para a fixação em diferentes substratos. Outros são vivíparos, nascendo os filhotes já complemente formados.

A maioria dos osteíctios tem fecundação externa. Na época da reprodução, os peixes de rios, adultos, sobem as correntes (piracema) e atingem as cabeceiras, onde a água é limpa e bem oxigenada. As fêmeas fazem a desova no cascalho do fundo e os lançam o esperma sobre esses ovos, fecundando-os. Desenvolvem-se então as pequenas larvas, os alevinos.

Muitas espécies de osteíctios apresentam dimorfismo sexual, com diferenças estremas bem visíveis entre machos e fêmeas, especialmente quanto ao tamanho e à forma do corpo e de algumas nadadeiras.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s